This Page

has been moved to new address

Quando tudo falha entra em ação o Radioamador

Sorry for inconvenience...

Redirection provided by Blogger to WordPress Migration Service
Giba Net: Quando tudo falha entra em ação o Radioamador

domingo, 22 de junho de 2008

Quando tudo falha entra em ação o Radioamador


Quem imaginaria de que toda a parafernália e a sofisticação existente no mundo moderno iria falhar um dia escala maciça e total, mais realmente aconteceu, foi neste momento que chegaram os radioamadores com seus equipamentos considerados fora de moda, cerraram fileiras e fecharam a enorme brecha existente nas telecomunicações quando caiu a energia elétrica, auxiliando todos os voluntários que estavam trabalhando no apagão do século.

Mais de quatro milhões de pessoas do nordeste e centro-oeste, dos Estados Unidos foram pegas de surpresa no famoso apagão de 14 de agosto quando a falta de energia elétrica cortou-lhes o acesso a Internet, ao correio eletrônico, aos telefones fixos e celulares, milhares de pessoas ficaram presas dentro dos elevadores, metrôs, trens e dentro dos ´´prédios inteligentes´´.

As vias terrestres, os telefones fixos e celulares ficaram congestionados pela grande quantidade de chamadas entrando em colapso total. Porém o radioamadorismo e os radioamadores que nasceram na era da primeira grande Guerra Mundial 1914/1918 e desde esta época vem trabalhando muito ativamente nas emergências como voluntários em todos os grandes desastres acontecidos no mundo, sendo que, também durante o mais extenso corte de luz da história dos Estados Unidos que acabou sendo chamado de apagão do século, deram a sua colaboração aos Bombeiros, Polícia, Cruz Vermelha e outros serviços que trabalhavam na emergência.

Os operadores das estações de radioamador não dependem de nenhuma linha telefônica, de nenhum servidor, nem de torres de celular e nem de energia elétrica, apenas com um ´´backup`` de baterias podem operar seus equipamentos de qualquer parte, onde os demais aparelhos de comunicação por mais sofisticados que sejam não podem.

Todavia quando tudo falha, o radioamadorismo e os radioamadores ali estão operando seus equipamentos. O radioamadorismo e os radioamadores já tinham ganho um memorável reconhecimento do povo e autoridades americanas, pelo seu excelente trabalho de comunicações e trafego de mensagens depois dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 aos Estados Unidos.

É incrível a diferença que o radioamadorismo vem mostrando ao mundo, pela grande quantidade de pessoas que sabem o que estão fazendo, e é aqui que esta fazendo uma grande diferença. Tom Carubba um Coordenador do Emergêncial de New York informou ainda que, assim que a energia elétrica caiu, os radioamadores voluntários apresentaram-se imediatamente e cinco minutos depois em cinco bairros de New York e condados de Long Island, esses radioamadores já tinham instalado seus equipamentos e já estavam no ar transmitindo mensagens para a Cruz Vermelha e para os Escritórios de Administração de Emergências inclusive prestando seu auxilio aos bombeiros.

Durante outros desastres tais como terremotos ou condições meteorológicas severas, os radioamadores voluntários normalmente ativam as repetidoras em torres estrategicamente instaladas, porém, durante o apagão do século as torres estavam desativadas por falta de energia elétrica e os radioamadores trabalharam nas freqüências que já estão previamente designadas, ou seja nas que estavam cobertas pêlos centros de operações de emergência para contatos diretos ou seja no visual entre antenas.

Na região de New York e Long Island em que vive uma população de mais de 10 milhões de pessoas trabalharam cerca de 100 radioamadores voluntários, que foi o suficiente para controlarem perfeitamente a crítica situação, pois mantiveram o trafego de mensagens 24 horas por dia enquanto durou o apagão do século.

Alguns radioamadores estavam nos escritórios centrais da Cruz Vermelha, outros nos refúgios centrais dos Bombeiros e nos hospitais além dos pronto socorros. Menciona aqui apenas um dos muitos trabalhos muito bem desempenhados pêlos radioamadores voluntários, disse Tom Carubba, foi num complexo hospitalar de New York, que alem do apagão, houve pane no sistema de energia de emergência do hospital que ficou sem nenhuma energia elétrica temporariamente e os radioamadores proveram todas as comunicações com as ambulâncias e outros departamentos, até em que a energia de emergência foi restabelecida naquele hospital.



Fonte: Gilberto PY3ABT (QTCBrasil)

Marcadores: ,

0 Comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem vindo

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial