This Page

has been moved to new address

A GLOBO E O IBOPE FAHRENHEIT

Sorry for inconvenience...

Redirection provided by Blogger to WordPress Migration Service
Giba Net: A GLOBO E O IBOPE FAHRENHEIT

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

A GLOBO E O IBOPE FAHRENHEIT

Por Roméro da Costa Machado, escritor.


Houve uma época no Rio de Janeiro em que se fazia, com freqüência e regularidade, um "black out" (corte de luz ou racionamento), por motivos de economia de energia elétrica. E o mais interessante é que durante o período de "black out", sem luz alguma, com todos os televisores desligados, obviamente, a Globo apresentava um Ibope de 32 pontos.

Como pode haver medição de índice de audiência com todos os aparelhos desligados? Como a Globo pode dar 32 de Ibope com todos os televisores desligados?

Mais estranho do que a situação esdrúxula é a explicação do "dono" (presidente) do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, que garantiu e justificou o "erro" (a palavra é outra, mas não dá para usar) grosseiro do Ibope informando que os televisores estavam desligados sim, mas quando fossem religados estariam sintonizados na Globo. Por esta razão o índice de audiência da Globo acusava 32 pontos mesmo com todos os televisores desligados.

Esta situação, cínica, descarada, foi mais do que suficiente para que eu caracterizasse o falso índice de audiência do Ibope da Globo como "Ibope Fahrenheit", pois 32 não só é o índice da Globo com todos os televisores desligados como 32 é o índice de correção e atualização entre os graus Celsius e Fahrenheit.

Mas para demonstrar que a situação do Ibope em relação à Rede Globo é muito além da parceria, vejamos duas outras situações que comprometem o Ibope na aferição dos índices de audiência. E as duas envolvem um personagem absolutamente insuspeito pelas circunstâncias de seu relacionamento com a Globo, com o Ibope e com revistas de grande circulação. Trata-se do conhecido multimídia Carlos Imperial que sem esconder nada da grande imprensa relatou o episódio da criação da Globo, onde após a televisão ter sido criada durante a ditadura militar foi manifestada a necessidade de se criar também um instituto de pesquisa, pois a televisão vive de anúncio e os anúncios chegam aos caixas das televisões em função dos índices de audiência aferidos pelos institutos de pesquisa. E segundo o testemunho de Carlos Imperial o Ibope foi este instituto de pesquisa criado essencialmente com a finalidade específica de ajudar e direcionar os índices de audiência favoráveis à Globo.

A segunda e mais polêmica das declarações de Carlos Imperial é mais terrível ainda: "É fácil subornar o Ibope. Eu mesmo já comprei o Ibope várias vezes" (Ressalte-se que entre outras coisas Carlos Imperial foi Diretor da Rede Globo e da conhecida revista "Amiga", e mesmo tendo feito esta declaração numa revista de grande circulação jamais foi contestado ou desmentido - até porque Imperial sabia muito e conhecia como ninguém os meandros e subterrâneos dos negócios de televisão. Era uma testemunha viva.)

Outro que não poupa o Ibope em hipótese alguma, e nunca poupou, a respeito da imprecisão do aferimento dos índices de pesquisa é o conhecido jornalista Sebastião Nery, que em todas as eleições mostra com dados concretos, números precisos, como até (e principalmente, atualmente) nas eleições o Ibope influencia e direciona votos para candidatos "A" ou "B", conforme o interesse de quem banca a pesquisa.

Ressalte-se que como a Globo sempre teve intimidade com a interferência das apurações de eleições e esteve diretamente ligada à mais famosa das fraudes eleitorais, que foi o escândalo "Globo-Proconsult" (no caso da tentativa de impedir a eleição de Leonel Brizola no Rio de Janeiro), assim como interferiu diretamente no caso da eleição Lula-Collor, favorecendo desavergonhadamente na edição do debate em favor do candidato collorido, depois transformado em presidente, nada mais natural que a associação Globo-Ibope, em relação às eleições havidas no Brasil, sejam em quais níveis forem, seja a associação mais perniciosa do mundo.

O leitor poderá até duvidar de algumas das questões aqui abordadas ou de outras envolvendo a associação Globo-Ibope. Por este motivo, em profundo respeito à liberdade de crença de cada um, manifesto meu irrestrito respeito a aqueles que acreditam em coelhinho da páscoa, em Papai Noel, na Globo e no Ibope.

Marcadores:

7 Comentários:

Às 21 de janeiro de 2009 10:13 , Blogger André disse...

voce acredita nestes numeros???pelo amor de deus!!!tudo nao passa de marketing - quanto mais diz que se tem audiencia mais gente ve!!!quem paga mais para o IBOPE leva mais numeros e prontos - um leilao para avaliar as estatisticas. abraços.

 
Às 21 de janeiro de 2009 16:11 , Anonymous Michell Niero disse...

ótima análise Giba. E o grande problema é que a Globo já deixou há muito tempo de ser um "privilégio" brasileiro. É perversa a influência das novelas brasileiras em Angola e Moçambique, países que recebem o sinal da Globo internacional por cabo. Mesmo sendo pago, em Moçambique é o segundo canal mais visto, perdendo apenas para o canal estatal do país.

Os mesmos modismos, o mesmo incentivo ao consumo irracional, a depreciação da mulher e do negro, a imbecialização pelo entretenimento, tudo isso está no pacote recebido pelos países lusófonos. O mais engraçado é que tanto angolanos como moçambicanos não tem a mínima ideia do que a Globo representa no Brasil.

O Patifúndio pretende fazer no mês que vem um especial chamado "braziian waty of life?", onde iremos abordar a influência positiva e negativa do Brasil nos países de língua portuguesa. Um dos assuntos será a influência da rede Globo. Foi muito bom encontrar este artigo pois me trouxe (e me lembrou) de muitos fatos importantes e que precisam ser esclarecidos perante a áfrica lusófona.

Um abraço.

 
Às 22 de janeiro de 2009 15:46 , Anonymous Guilherme Freitas disse...

É uma máfia esse IBOPE e outras instituições de pesquisas. Rola muita grana e interesse por tras dos bastidores. Grande parte desses números (ou sua total maioria) são manipulações descaradas. Eu mesmo já questionei o Datafolha, enviando cartas ao ombudsman (que me tratou muito bem), mas a direção do Datafolha nunca me respondeu. Porque será?

 
Às 22 de janeiro de 2009 15:47 , Anonymous Guilherme Freitas disse...

É uma máfia esse IBOPE e outras instituições de pesquisas. Rola muita grana e interesse por tras dos bastidores. Grande parte desses números (ou sua total maioria) são manipulações descaradas. Eu mesmo já questionei o Datafolha, enviando cartas ao ombudsman (que me tratou muito bem), mas a direção do Datafolha nunca me respondeu. Porque será?

 
Às 30 de janeiro de 2009 10:50 , Anonymous Fábio Buchecha disse...

Você se inspirou nesse meu texto, fala a verdade =P

Ótima análise cara, mas você sabe que o Ibope faz uma análise da praça regional que não envolve apenas o RJ né?

 
Às 30 de janeiro de 2009 11:11 , OpenID gibanet disse...

Fábio, os números do texto são apenas do Rio de Janeiro naquele horário do apagão.
Aqui em São Paulo o Otávio Mesquita questionou o fato de a Rede Globo estar com cinco pontos no ibope em uma madrugada de manutenção, com aquelas barras no ar (colorbar), será que 5% da população estavam assistindo as barras?

 
Às 30 de janeiro de 2009 12:42 , Anonymous AltoVoo disse...

Existe muita coisas estranha por debaixo dos panos e que ninguém tem acesso.

 

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem vindo

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial