This Page

has been moved to new address

O futebol não é esporte

Sorry for inconvenience...

Redirection provided by Blogger to WordPress Migration Service
Giba Net: O futebol não é esporte

domingo, 19 de dezembro de 2010

O futebol não é esporte

Segundo o Wikipédia, podemos definir esporte como um fenômeno sociocultural, que envolve a prática voluntária de atividade predominantemente física competitiva com finalidade recreativa ou profissional, ou predominantemente física não competitiva com finalidade de lazer, contribuindo para a formação, desenvolvimento e/ou aprimoramento físico, intelectual e psíquico de seus praticantes e espectadores. Além de ser uma forma de criar uma identidade esportiva para uma inclusão social.

O que tenho visto no futebol está muito longe de ser considerado esporte.

Primeiramente o futebol nada mais é que um jogo de interesses financeiros, onde os clubes, através de seus dirigentes, armam estratégias para conseguir dinheiro das formas mais desonestas possíveis, como a manipulação de resultados por exemplo.

Os jogadores de futebol, que antigamente poderíamos chamar de atletas, hoje em dia são apenas jogadores de futebol, pois não inspiram nos jovens aquilo que um verdadeiro atleta deveria inspirar.

Quando assistimos uma partida de futebol, principalmente os clássicos, já sabemos que ao final do jogo, nas ruas, veremos uma série de atos de vandalismos, brigas e até em alguns casos, mortes.

O exemplo de nossos jogadores de futebol passa pelas bebedeiras, orgias, falta de honra com seus compromissos, como pensão alimentícia, imprudência no transito e brigas de rua.
Um bom parâmetro para se comparar um atleta com um jogador de futebol e perceber a diferença, é olharmos para os verdadeiros esportes e a conduta de seus desportistas.
Você já viu brigas de torcidas organizadas de volei, basquete ou tenis?

Você já viu um atleta olímpico ser notícia nos jornais por estar drogado, bebado ou envolvido com traficantes?

Em resumo, o esporte deve ser uma atividade competitiva que inspire os espectadores à uma experiência saúdável e inspirem os jovens a terem como ícones, pessoas de boa índole e que tragam a estes jovens exemplos de boa conduta, cuidados com a saúde e comportamento louvável.

Você prefere seu filho tendo como ídolo e seguindo o exemplo de Diego Maradona, com seu vício em cocaina ou Guga, do tenis, exemplo de amigo, de cidadão e de atleta. Você prefere seu filho se inspirando em Edmundo, que tem diversos processos por agressão e negligência no trânsito ou em Giba, do volei, que todos que fazem comentários a seu respeito, só fazem elogios. Você já ouviu falar de algum piloto de Formula 1 que fez orgias com travestis e depois os espancou para não ter que pagar o programa? Você já viu algum judoca dar motos e carros de presente para traficantes?

Quantas torcidas organizadas de basquete, volei, rugby e hipismo você conhece que depois de uma competição, saem as ruas quebrando tudo e batendo nos outros?

Por estas e outras inúmeras razões, eu não considero futebol um esporte e quem joga, não considero um atleta, mas considero apenas um jogador de futebol.

Um grande abraço

Giba

Marcadores: ,

2 Comentários:

Às 19 de dezembro de 2010 21:22 , Anonymous Guilherme Freitas disse...

Giba, achei muito radical seu comentário, mas respeito. O futebol é mais do que um esporte. Ele é praticamente uma religião em qualquer lugar do planeta. Fanáticos há em todo o canto, mas eu sou um apaixonado por futebol. Não existem só escândalos no futebol. No golfe, Tiger Woods traiu a esposa com centenas de mulheres. Na anatação Rebeca Gusmão se dopou para vencer, assim com vários atletas no atletismo. No vôlei, Bernardinho perdeu de propósito e Giba já fumou maconha. Na F1, Rubinho e Massa foram coniventes com jogo de equipe. Em nenhum esporte há santos. Não troco o futebol por nada. Abraços.

 
Às 21 de fevereiro de 2011 21:47 , Anonymous Massucatti Neto disse...

Futebol..futebol..futebol... afinal só quem ganha realmente é o Ricardo Teixeira, e alguns poucos privilegiados superdotados. Concordo que em todas as profissões temos bons ou mals profissionais, no futebo temos o Marcos do Palmeiras, o Rogerio Ceni do São Paulo e algumas almas caridosas que mesmo depois de aposentarem fazem trabalhos sociais. Particularmente para mim o maior foi e será sempre o Airton Sena. futebo hoje é a maior máquina de dinheiro do mundo, um espetáculo, muitas vezes de cartas marcadas. Meu único medo é que com essa "valorização" exagerada tenhamos no furuto mais centro avantes e menos médicos, mais lateraís e menos professores. O futebol é sim um esporte, mas nem sempre quem o pratica o é.

 

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem vindo

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial