This Page

has been moved to new address

Desenvolvimento do Milênio

Sorry for inconvenience...

Redirection provided by Blogger to WordPress Migration Service
Giba Net: Desenvolvimento do Milênio

terça-feira, 6 de julho de 2010

Desenvolvimento do Milênio

Nações Unidas lançam relatório dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio na América Latina e Caribe
1 de julho de 2010 · Comunicados à imprensa

Documento, que analisa o cenário de pós-crise na América Latina e no Caribe, foi elaborado por 18 agências da ONU e coordenado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

O Secretário Executivo Adjunto da CEPAL, Antonio Prado, juntamente com o Diretor Regional do Programa Mundial de Alimentos (PMA), Pedro Medrano, e o Diretor Regional Adjunto do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Niky Fabiancic, apresentarão nesta quinta-feira, 1o de julho, o relatório do progresso da América Latina e do Caribe em relação aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). O documento interagencial apresenta os resultados alcançados pelos países no cumprimento dos ODM, bem como desafios apresentados.

A apresentação será realizada na sede das Nações Unidas em Nova York, às 14h (horário de Brasília), em sessão extraordinária prevista no âmbito do Segmento de Alto Nível do Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC). A apresentação será na Sala de Conferência 8 do Edifício de Conferências.

O Relatório dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2010 da América Latina e Caribe dá ênfase à perspectiva dos direitos humanos e à importância de fechar as lacunas e as desigualdades em todas as suas formas: de gênero, étnicas, sócio-econômicas e territoriais. Analisa o cenário de pós-crise na América Latina e no Caribe e examina o emprego produtivo e o trabalho decente, a sustentabilidade ambiental, a inovação e o fosso tecnológico, bem como a cooperação Sul-Sul.

O Relatório regional foi desenvolvido pela Coordenação Regional das Nações Unidas e envolveu 18 programas, fundos e agências especializadas da ONU com presença na América Latina e no Caribe: a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT), a Organização Internacional do Trabalho (OIT); a Organização Panamericana da Saúde (OPAS/OMS), o Programa Mundial de Alimentos (PMA), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Programa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM), o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS), o Escritório das Nações Unidas para Serviços de Projetos (UNOPS), o Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e a Organização Mundial do Turismo (OMT).

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) foram adotados em 2000 pelos governos de 189 países como um compromisso de combater a desigualdade e melhorar o desenvolvimento humano no mundo. Trata-se de um guia de navegação – cujo horizonte é o ano de 2015 – para erradicar a pobreza extrema e a fome, alcançar a educação primária universal, promover a igualdade entre os sexos, melhorar a saúde, reverter a degradação ambiental e desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento.

O documento estará disponível no site da CEPAL, em www.cepal.org, a partir das 14h (horário de Brasília) do dia 1o de julho.

Marcadores: , , ,

2 Comentários:

Às 6 de julho de 2010 20:46 , Anonymous Rose disse...

Giba, só p/ acrescentar as informações da matéria:
Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
22 de junho de 2010 · Últimas notícias
Em setembro do ano 2000, líderes de 189 países se encontraram na sede das Nações Unidas em Nova York e aprovaram a Declaração do Milênio, um compromisso para trabalharem juntos na construção de um mundo mais seguro, mais próspero e mais justo.

A Declaração foi traduzida para um roteiro que estabeleceu oito metas a serem atingidas até 2015, conhecidas como Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), enumerados a seguir:


1.Erradicar a pobreza extrema e a fome

◦Reduzir à metade a proporção de pessoas cuja renda seja inferior a U$1,25 por dia.
◦Alcançar emprego pleno, produtivo e decente para todos, inclusive mulheres e jovens.
◦Reduzir à metade a proporção de pessoas que sofrem com a fome.
2.Alcançar educação primária universal

◦Garantir que todos os meninos e meninas completem o curso de educação primária.
3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres

◦Eliminar a disparidade entre os gêneros na educação primária e secundária preferencialmente até 2005, e em todos os níveis da educação até 2015.
4. Reduzir a mortalidade infantil

◦Reduzir em dois terços a mortalidade de crianças menores que 5 anos.
5. Melhorar a saúde materna

◦Reduzir a mortalidade materna em três quartos.
◦Alcançar acesso universal à saúde reprodutiva.
6. Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças

◦Deter e diminuir a propagação do HIV/AIDS.
◦Alcançar, até 2010, acesso universal ao tratamento do HIV/AIDS para todos aqueles que precisam.
◦Deter e diminuir a incidência da malária e outras doenças.
7. Garantir a sustentabilidade ambiental

◦Integrar os princípios do desenvolvimento sustentável às políticas e programas de governo dos países; reverter a perda de recursos naturais.
◦Reduzir a perda da biodiversidade, alcançando, até 2010, uma redução significativa da taxa de perda.
◦Reduzir à metade a proporção de pessoas sem acesso a água potável e saneamento básico.
◦Melhorar a vida de pelo menos 100 milhões de habitantes de favelas até 2020.
8. Estabelecer uma parceria global para o desenvolvimento.

◦Desenvolver a fundo um sistema financeiro e comercial que seja aberto, baseado em regras, previsível e não-discriminatório.
◦Atender às necessidades especiais dos países menos desenvolvidos, países sem litoral e Estados em desenvolvimento em pequenas ilhas.
◦Lidar compreensivelmente com as dívidas de países em desenvolvimento.
◦Em parceria com a indústria farmacêutica, prover acesso a medicamentos essenciais nos países em desenvolvimento.
◦Em parceria com o setor privado, tornar disponível os benefícios das novas tecnologias, em especial tecnologias de informação e comunicação.
Boa a matéria Giba, abraço
(Rose)

 
Às 19 de julho de 2010 05:52 , Blogger Jose Sousa disse...

Aqui estou em seu espaço, gostei imenço e vou seguilo pois é lendo outros que vou enriquecendo meus conhecimentos. e lhe pediria para conhecer os meus blog’s, são histórias reais de minha vida. Me acompanhe, deixar sempre um comentário, e clique em “Seguir (Follou):

http://www.minhaalmaempoemas.blogspot.com
http://www.congulolundo.blogspot.com
http://www.queriaserselvagem.blogspot.com

Um abração, lhe fico esperando por lá.

 

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem vindo

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial