This Page

has been moved to new address

A Suécia é o País Que Mais Investe Em Educação No Mundo

Sorry for inconvenience...

Redirection provided by Blogger to WordPress Migration Service
Giba Net: A Suécia é o País Que Mais Investe Em Educação No Mundo

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

A Suécia é o País Que Mais Investe Em Educação No Mundo


(*) Por Nelson Valente

A Suécia é o país que mais investe em educação. Só em 2010, gastou 7,6% do seu Produto Interno Bruto nessa área, superando os Estados Unidos, a França, o Japão e a Itália, que aplicaram índices inferiores do seu PIB no mesmo setor.

Com uma população de 8,4 milhões de habitantes, o país passou por uma intensa reforma educacional, a partir dos anos 50. Hoje, dedica nove anos à escolarização obrigatória, que abrange alunos dos sete aos
dezesseis anos de idade; dispõe de classes integradas para o ensino médio, objetivando acomodar indivíduos a partir dos 16 anos; possui um sistema municipal de educação de adultos oferecendo a mesma qualidade-padrão dada aos mais jovens; e conta com um nível superior aberto a qualquer um, com qualificações bastante diversificadas.

Todas as crianças entram no pré-escolar pelo menos um ano antes de iniciar a escolarização obrigatória. As instituições que realizam esse trabalho não pertencem ao sistema regular de ensino, mas a programas governamentais de auxílio à criança.

A parcela do orçamento voltada para o ensino é distribuída de tal forma que aumenta os incentivos, estimulando os estudantes. A pré-escola, a educação obrigatória e o ensino médio são controlados pelas autoridades municipais, mas os gastos com a manutenção são divididos com o Estado.

As escolas são gratuitas e seus alunos recebem ainda o material escolar, a refeição e o transporte. Existem poucas escolas particulares. Os pais dos estudantes recebem o salário-família, que é idêntico para todos, até que os dependentes completem 16 anos. A partir daí, os jovens que desejam continuar os estudos recebem bolsas.

Chegando ao nível superior, essas bolsas passam a ser empréstimos reembolsáveis.

As administrações municipais proporcionam a um número cada vez maior de crianças atendimento durante todo o dia e atividade fora do horário escolar, por preços módicos. A educação em nível universitário é totalmente controlada pelo governo, existindo mais de 30 instituições que proporcionam ensino gratuito.

Na Suécia, as pessoas com retardamento mental cursam uma escola especial, que não é apenas um direito, mas faz parte da escolarização obrigatória, na faixa dos 7 aos 21 anos. A integração entre o ensino regular e o especial cria condições para uma cooperação mútua, oferecendo aos deficientes mentais as mesmas facilidades de que dispõem os outros estudantes.

Observando o sistema educacional sueco, nota-se uma forte preocupação em manter um currículo homogêneo, igual para todas as escolas do país.

Ele contém exigências expressas quanto às tarefas escolares, de maneira que elas se adaptem às necessidades intelectuais e sociais dos alunos.

O objetivo principal do governo é beneficiar o desenvolvimento da personalidade da criança, aumentar suas possibilidades de uma boa colocação no mercado de trabalho e garantir uma intensa participação na vida da comunidade. Para um país das suas dimensões, o sistema funciona de modo bastante adequado, o que resulta na posição invejável da Suécia no conceito internacional.

(*) é professor universitário, jornalista, escritor e amigo inestimável.

Marcadores: ,

2 Comentários:

Às 17 de janeiro de 2011 07:43 , Blogger Hugo Green disse...

É de causar mesmo inveja da Suécia que diferença para Brasil até mesmo para os Estados Unidos, muito interessante como funciona educação de la, da vontade de crescer ne um país como esse quando vemos as qualidades dos países do velho mundo.

Ótimo post gostei bastante!

Abraço.

 
Às 17 de janeiro de 2011 23:04 , Anonymous Guilherme Freitas disse...

A Suécia é um paraíso distante para nós. É uma nação onde a educação é mais importante que tudo. E tem que ser assim. Praticamente não há analfabetos e a sociedade é politizada. Pensei em fazer mestrado lá e sei que eles dão muita oportunidade para estudantes estrangeiros. Abraços.

 

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem vindo

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial